Site russo transmite em tempo real milhares de webcams privadas

Um novo site com base na Rússia está transmitindo vídeos ao vivo a partir de milhares de webcams privadas em todo o mundo, incluindo imagens de bebês e pacientes em hospitais.
Hackers acessam as câmeras usando senhas padrão estabelecidas pelos fabricantes, disse uma autoridades britânica nesta quinta-feira. Esses detalhes de log-in estão disponíveis gratuitamente on-line, deixando as câmeras desprotegidas, garantindo acesso a qualquer pessoa.

Muitas das câmeras foram instaladas em residências e empresas por pessoas que tentam melhorar a segurança. O proprietário pode usá-los para monitorar sua propriedade remotamente através da Internet. Mas ao fornecer acesso público a esses dispositivos – incluindo redes de CCTV em lojas, residencias, monitoramento de bebês e crianças – o site está expondo seus momentos íntimos.
O site afirma que sua motivação é para chamar a atenção para o problema.
“Estas câmeras não forão hackeadas. Os proprietários dessas câmeras usa senha padrão por motivo desconhecido”, diz o site.

Uma navegação rápida através do site revela transmissões ao vivo de quase 4.600 câmeras em território dos EUA, incluindo vídeo de um bebê dormindo em um berço, em Nova Jersey. Mais de 2.000 câmeras foram hackeadas na França, cerca de 1500, na Holanda, e milhares mais em mais de 100 países em todo o mundo incluindo o Brasil.

Há um vídeo de um casal tomando café da manhã na França, imagens do circuito interno de um paciente idoso deitado em uma cama em Minnesota, cenas de um salão de beleza no Japão, e a vista de um parque infantil com piscina e trampolim na Holanda.

Cada link vem com o que o site afirma ser coordenadas de GPS da câmera, código postal, fuso horário e um mapa mostrando sua localização precisa.
As preocupações com a segurança são enormes.

“Poucas pessoas deixam suas portas da frente destrancada, mas não se preocupar com as senhas para proteger seus dispositivos tem os mesmos riscos, tanto para a sua privacidade e segurança”, disse Emma Carr, diretor do Big Brother Watch privacy pressure group.

O Information Commissioner’s Office do Reino Unido pediu às pessoas para mudarem as senhas padrão para evitar que suas câmeras sejam hackeadas.
Mais de 14 mil desses dispositivos são feitos pela empresa Foscam da China. O fabricante não estava disponível para comentar.
Panasonic (PCRFF) e Linksys câmeras também foram afetadas.

4 Comentários

  1. A questão aqui é que as pessoas precisam ser ensinadas sobre conceitos básicos de segurança e não usar a ignorância como desculpa como o famoso “eu não sei essas coisas de computador”. Senhas padrão devem ser alteradas antes que qualquer dispositivo seja conectado à Internet. O mais preocupante é que algumas pessoas de TI que instalam esses dispositivos permitem que um descuido tão grande ocorra.

    Além disso, isso não é obra de nenhum hacker. Deixando as senhas padrão em um dispositivo conectado à internet é o mesmo que deixar as portas destravadas e as chaves na ignição de um veículo estacionado em um estacionamento público.

    abcde83
    • Eu posso ser estúpido para deixar minha porta aberta, mas isso não significa que você pode entrar sem permissão.

      No restante eu concordo com você.

      AlfredoPhares
  2. Não é só a Rússia. Qualquer um pode fazê-lo a partir de qualquer lugar, incluindo o seu vizinho do lado.

    AnnetteSouthern
  3. Bom! Agora eu sei como eu vou passar meus finais de tarde.

    Carlos Magno

Deixar um comentário

Você precisa estar logado. Efetue login para postar um comentário